Tendências Tecnológicas no Agro em 2024🚜🌱

Carta do Especialista, 19 de janeiro de 2024

Na 1ª semana deste ano abordei as 15 maiores tendências na Saúde em 2024 e na semana passada trouxe uma análise atual do mercado de Biotecnologia e as tendências para este ano. Já havia recomendado a leitura de ambos os artigos porque havia muita sinergias entre estes setores. Agora, ao trazer as tendências do Agro, novamente recomendo a leitura do artigo sobre Biotecnologia, porque também apresenta muitas sinergias com o setor abordado na Carta de hoje. Este mundo em Transformação Digital…Tudo muito conectado!!!!!

Bora lá?


Tendências Tecnológicas no Agro em 2024 🚜🌱

Em meio às mudanças incessantes e desafios emergentes do pós-Covid, o agronegócio encontra-se em uma encruzilhada crucial. Um estudo do Sebrae/RJ nos proporciona um panorama detalhado dessa conjuntura, com ênfase especial no mercado brasileiro e nas inovadoras práticas de agricultura de precisão. Neste artigo, mergulharemos nas nuances dessas tendências, explorando como elas estão redefinindo o cenário agrícola em 2024.🌾

O agronegócio, resiliente e em constante evolução, enfrenta uma nova realidade moldada pela inflação global, os impactos da guerra na Ucrânia, preocupações ambientais e a imperativa necessidade de uma transformação digital. Esta conjuntura demanda uma gestão flexível, um entendimento profundo das exigências do mercado, estratégias operacionais astutas, análises de dados perspicazes e fortalecimento de relações comerciais. Assim, o biênio 2023/2024 se apresenta como um período decisivo para o crescimento sustentável do setor. 💹🌍

A agricultura de precisão, com destaque para o uso revolucionário de drones, emerge como um ponto focal. Esta tecnologia não é apenas uma ferramenta para a eficiência, mas também um símbolo do compromisso com a sustentabilidade ambiental. Drones, agora, são indispensáveis para a pulverização precisa de lavouras, minimizando desperdícios e fornecendo um monitoramento detalhado das condições das culturas. 🚁🌿

Além disso, a ênfase em fertilizantes mais eficientes e ambientalmente sustentáveis é notável. O mercado de Fertilizantes ultrapassou US$ 190 bilhões em 2020 e crescerá a um CAGR (taxa de crescimento anual composto) de 2,6% de 2023 a 2030. A busca por soluções que equilibrem a alta produtividade com a responsabilidade ambiental continua a ser um campo fértil para inovações em 2024. 🌳💼

O mercado de orgânicos, impulsionado por uma crescente consciência sobre saúde e sustentabilidade, abre novas avenidas para conectar produtores e consumidores. A certificação de produtos orgânicos se torna um elemento chave na garantia da qualidade e na confiança do consumidor. 🥦🛒

No cenário global, o Brasil se destaca como um dos principais exportadores de produtos agropecuários. A expectativa para 2024 é de uma expansão ainda maior da presença brasileira no mercado mundial, impulsionada por práticas agrícolas inovadoras e sustentáveis. 🇧🇷🌎

Por fim, o documento do Sebrae/RJ ressalta a importância da capacitação dos pequenos produtores nas tecnologias de precisão. Essa abordagem é fundamental para garantir que os pequenos agricultores possam competir eficientemente, adotando métodos e tecnologias modernas para um gerenciamento mais eficaz das lavouras. 👨🌾💡

Este artigo, portanto, não só reflete sobre as tendências atuais, mas também visa inspirar ações e inovações que irão moldar o futuro do agronegócio. Com a adoção de novas tecnologias, o foco na sustentabilidade e a capacitação contínua, o setor agrícola caminha para um sucesso contínuo e uma relevância ainda maior no mercado global. 🌟🔝


Tecnologias fazendo a diferença🌟

As tendências de tecnologias identificadas por vários estudos do setor agrícola para o ano de 2024, incluem:

1. 🎯Agricultura de Precisão: Continua sendo uma das principais tendências, com o uso de tecnologias como GPS, sensores, mapeamento por drones e sistemas de informação geográfica para otimizar as práticas agrícolas, aumentar a eficiência e reduzir custos.

A irrigação inteligente é um negócio que cresce cerca de 14% ao ano e que tem forte relação com o crescimento das áreas irrigadas. Pelos dados do Censo Agro (IBGE), existiria, hoje, cerca de 7 milhões de hectares irrigados no Brasil, o que estimula o investimento em soluções que promovam o uso racional da água.


2. 🚁Drones e Veículos Autônomos: O uso de drones para monitoramento de culturas, pulverização de pesticidas e fertilizantes, e veículos autônomos para colheita e outras tarefas agrícolas estão se tornando cada vez mais comuns, proporcionando maior precisão e eficiência.

Segundo projeções do grupo financeiro internacional Goldman Sachs, o agro é um dos setores com maior oportunidade de crescimento potencial de drones, ficando atrás apenas da construção civil e uso militar. A pesquisa do Goldman Sachs aponta para um mercado de drones agrícolas estimado em US$5,9 bilhões.


3. 🤖Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquina: Estas tecnologias estão sendo cada vez mais aplicadas para análise de dados agrícolas, previsão de safras, detecção de pragas e doenças, e para a tomada de decisões baseadas em dados. Seguem 4 casos para ilustrarem muito bem este tema:

  • 🌐Cognitive Technologies, Rússia: Imagine uma colheitadeira percorrendo um campo de trigo de 120 hectares com precisão, sem acesso à internet – uma realidade comum em muitas fazendas remotas da Rússia. A Cognitive Technologies desenvolveu uma colheitadeira que utiliza Inteligência Artificial para operar de forma autônoma sem necessidade de internet. O equipamento é controlado externamente por um dispositivo em formato de maleta, que atua como o cérebro da máquina, processando dados coletados em tempo real e guiando a colheitadeira por meio de câmeras de vídeo.

  • 🌽🌿Família Carmo, Pontão, Rio Grande do Sul: Em 2009, a família Carmo adotou a tecnologia de agricultura de precisão em sua fazenda de 650 hectares, utilizando IA para analisar condições de solo e clima. Com a ajuda de um software de gestão, a família conseguiu aplicar correções no solo e otimizar o plantio de milho e soja. O resultado foi um aumento significativo na produtividade: as lavouras de soja passaram de 55 para 80 sacas por hectare, e as de milho, de 160 para 200 sacas por hectare.

  • 🔬Alibaba, China: Conhecida por sua plataforma de e-commerce, a Alibaba também desenvolve tecnologias para a agricultura. Recentemente, a empresa criou uma solução de IA para a apicultura, visando aumentar a saúde das abelhas e a eficiência na produção de mel. O sistema inteligente automatiza o monitoramento de colmeias, ajustando fatores como temperatura e umidade, e aumentou a produção de mel em até 20%. A Alibaba também tem um caso de sucesso na aplicação de visão computacional e deep learning em pesquisas biológicas.

  • 👩🌾🤖CROO Robotics, EUA: Com o declínio de trabalhadores na agropecuária devido à urbanização, a CROO Robotics desenvolveu um robô para auxiliar na colheita e embalagem de morangos. O robô é capaz de substituir até 30 trabalhadores, colhendo 8 acres em um dia. Utilizando IA, o robô identifica e seleciona apenas os morangos maduros, poupando as frutas e plantas verdes. Inicialmente, era necessário algum auxílio humano, mas o robô evoluiu para uma operação totalmente autônoma, incluindo a embalagem das frutas. A Wish Farms, na Flórida, implementou esta tecnologia em 2017, demonstrando o potencial da IA na otimização de processos agrícolas e na redução da dependência de mão de obra.

4. 🌐Internet das Coisas (IoT): Sensores e dispositivos conectados estão sendo usados para monitorar condições de cultivo, como umidade do solo, temperatura, e níveis de nutrientes, permitindo uma gestão mais eficaz dos recursos.

As soluções de Internet das Coisas (IoT) são fundamentais nas iniciativas de agricultura inteligente, que utilizam sensores locais e remotos para gerar e transmitir dados sobre culturas específicas, animais ou práticas agrícolas. Isso permite a mecanização e automação de práticas agrícolas, levando a uma produção mais eficiente, de alta qualidade e sustentável.

As soluções de agricultura inteligente com sensores IoT podem ser categorizadas em três grupos:

  • 🤖Gestão Inteligente de Culturas: Inclui gerenciamento remoto de bombas de água, monitoramento do solo, monitoramento de culturas, gestão e automação de irrigação, gerenciamento de estufas, aplicação automática de fertilizantes e pesticidas, gestão de armazenamento frio e rastreamento logístico. Exemplos:

  • 🌱Inspira Farms: usa IoT para fornecer soluções de pré-resfriamento e tecnologia de cadeia fria para cadeias de suprimentos de frutas🍓, vegetais 🥕, flores 🌸 e proteínas animais 🥩 na África.

  • Nano Ganesh 🌾: é um sistema de automação de irrigação que permite aos agricultores controlar remotamente as bombas de irrigação através de telefones celulares 📱.

  • SunCulture ☀️🌦️: coleta dados do solo e do clima através de sensores IoT no solo, estações meteorológicas locais e satélites meteorológicos 🛰️.

  • Ferramentas de Gestão de Pecuária Inteligente 🐄: Utilizam dispositivos IoT para auxiliar os agricultores com contenção e prevenção de furtos, saúde e reprodução, identificação de ameaças predatórias e gestão de longo prazo. Exemplos:

  • Aquarech 🐟: incorpora gerenciamento de fazendas com sensores IoT 📡 para métricas vitais de produção, melhorando a produtividade de pequenos produtores de peixes e conectando produtores a comerciantes 🔄.

  • eFishery 🐠: é uma máquina inteligente de alimentação de peixes e camarões baseada em IoT para aquicultura comercial, usando sensores para alimentação ótima 🦐.

  • Stellapps 🐮: desenvolve ferramentas de automação e análise integradas com sensores IoT para sistemas de ordenha, dispositivos vestíveis para animais e armazenamento de leite em cadeias de abastecimento de fazendas leiteiras 🥛.

  • Serviços de Acesso à Mecanização 🚜: Utilizam sistemas de reservas digitais (normalmente em forma de aplicativo móvel) para permitir que agricultores acessem equipamentos agrícolas, como tratores, drones, debulhadoras, máquinas de arar e outros equipamentos agrícolas. Exemplos:

  • BeatDrone 🚁: plataformas de sensores IoT aéreos mapeiam fazendas para avaliações de culturas, análise do solo, uso de água e drones de pulverização para entrega precisa de fertilizantes ou pesticidas 🌾.

  • Hello Tractor 🚜: conecta proprietários de tratores a agricultores através de uma solução digital habilitada para IoT para solicitar serviços de trator acessíveis, ao mesmo tempo que oferece segurança aprimorada aos proprietários de tratores 🔒.

  • TROTRO Tractor 🚜📱: conecta pequenos agricultores a proprietários de maquinário agrícola rastreado por IoT para solicitar, agendar e pré-pagar por serviços de trator ou colheitadeira usando seus telefones celulares.

  • 5. Automação e Robótica 🤖: Robôs estão sendo desenvolvidos para realizar tarefas como plantio, capina, colheita e embalagem, aumentando a eficiência e reduzindo a necessidade de mão de obra 👨🌾.Aqui estão três bons motivos pelos quais a automação está sendo chamada de “o futuro da agricultura” 🌱. Primeiro, cobre mais fazendas do início ao fim, mudando praticamente todos os trabalhos na fazenda; segundo, significa que mais funcionários não agrícolas estão sendo contratados para carreiras nas fazendas 🏭; e terceiro, está injetando dinheiro sério (e despesas) nos balanços das fazendas 💰.Na verdade, a automação total pode aumentar a renda líquida das culturas no Canadá em US$ 400 por acre por ano, de acordo com um relatório da McKinsey & Company 💹.

O aumento do custo dos insumos e a escassez de mão de obra agrícola também estão impulsionando a demanda por automação, diz Jolene MacEachern, agricultora de laticínios e diretora de estratégia e projetos estratégicos na Universidade Dalhousie, que acredita que há outra vantagem em adotar mais ferramentas tecnológicas na fazenda 🚜🌾.

“Há trinta anos, a probabilidade de contratar (trabalhadores) que cresceram em fazendas era maior”, diz MacEachern. “Agora, os agricultores estão contratando pessoas que têm interesse em alimentos e precisam ser ensinadas o resto.”

No entanto, a tecnologia também pode mudar a forma da agricultura no Canadá.

Embora a automação tenha demonstrado proporcionar um retorno significativo sobre o investimento, incluindo até 80% de redução nos custos de herbicidas quando os agricultores usam pulverizadores de precisão, o custo inicial do equipamento é uma barreira significativa na adoção dessas tecnologias de tendência. Isso significa que as ferramentas de tendência levarão mais tempo para serem adotadas em operações menores.


6. Agricultura Vertical e Hidroponia 🌿🏙️: Estas técnicas permitem o cultivo de alimentos em ambientes controlados, usando menos espaço e recursos hídricos, e são particularmente úteis em áreas urbanas ou onde o solo é menos fértil.

No Brasil, um exemplo emblemático desse modelo é a BeGreen 💚. Iniciada em 2014 e inspirada pelos métodos de produção indoor de hortaliças do Massachusetts Institute of Technology (MIT), a BeGreen deu seus primeiros passos. Em 2015, a primeira unidade da BeGreen foi inaugurada em Belo Horizonte, marcando o início de um empreendimento voltado para soluções inteligentes e sustentáveis. O grande desafio era expandir para as metrópoles, objetivo alcançado anos depois. Atualmente, a BeGreen exerce um papel significativo no mercado, na sociedade e na preservação ambiental. A produção de 420 mil pés de hortaliças, por exemplo, representa impactos ambientais notáveis, como a remoção de 1,18 toneladas de CO2 do meio ambiente 🌍, economia de 445.900 litros de água na irrigação 💧, ausência de desperdício de água (cerca de 273.000 litros economizados) e uma redução de 45% nos custos de produção em comparação com métodos convencionais.

As fazendas verticais representam o futuro da agricultura, onde condições como temperatura, luz e qualidade do solo são controladas internamente, independentemente das variações climáticas externas causadas pelo aquecimento global 🌡️🌞. Elas surgem como uma solução para levar a produção de alimentos aos grandes centros urbanos, impulsionadas pelo crescimento populacional, mudanças climáticas e desafios de regeneração do solo. A pandemia adicionou outros fatores a essa equação, como a procura por alimentos mais saudáveis e livres de agentes químicos ou biológicos 🥗🔬.

No contexto dos pequenos produtores e do movimento “Farm-to-table” (da fazenda para a mesa), observa-se uma crescente parceria entre produtores e consumidores. Restaurantes de renome estão criando seus próprios jardins e aderindo intensamente a este movimento, fundamentando suas práticas na transparência e sustentabilidade 🌱🍽️. Embora não seja um conceito novo, “Farm-to-table” ganhou tamanha relevância no setor de restaurantes quanto a experiência do slow food e os cardápios de coquetéis artesanais.


7. Blockchain e Rastreabilidade 🔗: O uso de blockchain na cadeia de suprimentos agrícolas está crescendo, oferecendo maior transparência e rastreabilidade dos produtos desde a fazenda até o consumidor. Seguem casos de uso aqui em nosso país:

A JBS, uma das maiores processadoras de carne do mundo, tem adotado sistemas de rastreabilidade utilizando a tecnologia blockchain. Esses sistemas permitem o registro digital de informações cruciais, como o histórico de criação dos animais, a dieta, os tratamentos veterinários e os detalhes dos abates. Com isso, os consumidores ganham acesso a dados confiáveis sobre os produtos que consomem. Esta inovação aumenta significativamente a transparência na cadeia de suprimentos de carne e fortalece a confiança dos consumidores, assegurando uma maior responsabilidade e qualidade nos processos da empresa 🥩💡.

A cooperativa Minasul lançou o projeto ‘Café da Origem’, que aplica a tecnologia blockchain para registrar todas as etapas da produção de café, do plantio à exportação. Os produtores documentam informações detalhadas sobre o cultivo, a colheita, o processamento e a qualidade do café nesta plataforma blockchain. Isso permite que os consumidores rastreiem a origem do café e confirmem sua autenticidade. Além de promover a transparência, a blockchain auxilia na certificação e na comprovação de práticas sustentáveis e de comércio justo na produção do café, valorizando a produção consciente e responsável ☕🌐.


8. Sustentabilidade e Agricultura Regenerativa 🌍♻️: Há um foco crescente em práticas agrícolas sustentáveis e regenerativas, que visam não apenas produzir alimentos, mas também melhorar a saúde do solo, a biodiversidade e reduzir as emissões de carbono.

As marcas vêm buscando por novas maneiras de administrar e reaproveitar resíduos alimentares de forma que reduza a pegada de carbono associada a eles. Parte desses resíduos de alimentos acaba em aterros sanitários, o que contribui com 8% a 10% com as emissões de gases de efeito estufa em todo mundo. Quase 2,5 bilhões de toneladas de alimentos são desperdiçados no mundo no período de um ano, o que corresponde a 40% dos alimentos cultivados em todo mundo, segundo estudos da WWF e da Tesco, em pesquisa realizada em 2021 🗑️🌱.

Algumas estimativas dizem que a agricultura regenerativa poderia permitir que os agricultores canadenses sequestrem 78 gigatoneladas de dióxido de carbono equivalente até 2050 — uma conquista que levaria a nação além do zero líquido. Mas Antonious Petro, diretor executivo da Regeneration Canada, observa: “existem barreiras financeiras, lacunas de conhecimento e uma rede inteira de suporte que precisa estar em vigor… Os agricultores não podem se tornar verdes se estiverem no vermelho.”


9. Tecnologias de Edição Genética 🧬: Ferramentas como CRISPR estão sendo exploradas para desenvolver culturas mais resistentes a doenças, pragas e condições climáticas adversas e até mesmo novos produtos como carne bovina editada geneticamente, liberada pela Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA em 2022.O CRISPR criou uma característica genética para dar ao gado casacos curtos e lisos para permitir que tolerem melhor o clima quente. Pesquisas mais recentes incluem uma iniciativa de US$ 70 milhões na Universidade da Califórnia para explorar como o CRISPR poderia alterar o microbioma intestinal do gado para produzir menos metano, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa dos arrotos das vacas por meio de um medicamento oral.


10. Energias Renováveis ☀️💨: A integração de fontes de energia renovável, como solar e eólica, nas operações agrícolas para reduzir a dependência de combustíveis fósseis e diminuir a pegada de carbono. Algumas exemplos bem-sucedidos pelo mundo:

Painéis Solares e Sua Influência na Agricultura e Biodiversidade 🌞🌱: Pesquisas recentes revelam que os painéis solares podem ter um impacto benéfico nas terras com escassez de água ao redor. Um estudo realizado em Oregon, nos Estados Unidos, descobriu que as áreas ao redor dos painéis apresentavam uma eficiência no consumo de água 300% maior. Isso abre caminho para uma prática conhecida como sistema agrovoltaico, onde as colheitas são cultivadas sob os painéis solares. Essa prática também tem mostrado aumentar a biodiversidade. Na Austrália, um estudo de quatro anos com criadores de ovelhas que instalaram painéis solares em suas terras revelou melhorias na quantidade e qualidade da lã de ovelha desde a instalação dos painéis. O pastoreio das ovelhas ajuda a controlar o crescimento da grama, evitando que obstrua os painéis, enquanto estes fornecem sombra, prevenindo a secagem do solo 🐑🌳.


Estufas Geotérmicas e Sua Eficiência Energética 🔥🌿: As fazendas podem utilizar bombas de calor geotérmicas para aquecer e resfriar suas edificações. Essas bombas são capazes de trocar a temperatura do ar e do solo durante o ano inteiro. Nos Estados Unidos, uma família que produz flores utilizou um subsídio do governo para instalar energia renovável em sua propriedade. Antes, o aquecimento de uma estufa com gás propano custava cerca de US$ 1.000 por mês. Agora, com o uso da energia geotérmica, o custo caiu para US$ 100 mensais. Durante o dia, o sistema capta o calor excessivo da estufa e o armazena nos canos no solo, para depois, durante a noite fria, bombear o calor de volta para a estufa 🌺🌡️.


Biogás Como Fonte Renovável de Energia 💨🔋: O biogás, derivado de matéria orgânica como alimentos e resíduos animais, é uma fonte renovável de energia que pode ser utilizada para cozinhar e aquecer. Essa é uma alternativa mais sustentável e frequentemente mais barata do que o gás natural.

Um fazendeiro no Butão utilizou biogás em sua produção avícola com o objetivo de reduzir as contas de eletricidade e manter uma baixa pegada de carbono. Sua fazenda, com 4 mil aves, precisava mantê-las aquecidas, especialmente nos meses de inverno. A solução encontrada foi usar esterco de porcos e animais leiteiros para abastecer uma usina de biogás no local. O sucesso dessa iniciativa levou à expansão do uso de biogás para aquecer também a fazenda de criação de porcos 🐖🌿.


Conclusão

À medida que adentramos mais profundamente na Era digital, as transformações no agronegócio não apenas sinalizam avanços tecnológicos, mas também uma nova filosofia de trabalho e produção. As tendências em 2024 não são somente reflexo de inovações, mas de um movimento em direção à sustentabilidade, eficiência e integração de uma cadeia de valor mais consciente e responsiva.

A agricultura de precisão, já estabelecida como a espinha dorsal da produtividade, se torna sinônimo de gestão ambiental responsável. Drones e IA, mais do que ferramentas, são os novos parceiros dos agricultores, ajudando a preservar recursos e maximizar resultados. A IoT e a robótica transcendem o status de novidade e passam a ser essenciais para a competitividade no mercado global.

No entanto, a verdadeira revolução vem do reconhecimento de que a tecnologia por si só não é o destino, mas o meio para alcançarmos um agronegócio mais justo e equitativo. Isso é evidenciado pela crescente adoção de práticas de agricultura regenerativa e pelo uso estratégico de energias renováveis, que promovem um ciclo virtuoso de produção e consumo.

A transformação digital do agronegócio não é apenas um fenômeno brasileiro, mas um exemplo para o mundo de como a tecnologia pode ser harmoniosamente integrada com a terra, as pessoas e os mercados. O caminho está traçado para um futuro em que a inovação se alia à tradição e onde cada grão produzido carrega em si a marca da sustentabilidade e da responsabilidade social.

Este é o agronegócio de 2024: interconectado, inteligente e inovador. Um setor que não só alimenta o mundo, mas também cuida dele. A jornada para este futuro começa hoje, com cada decisão tomada, cada semente plantada e cada tecnologia adotada. Que sigamos avançando com a visão clara de que a terra que cultivamos é a mesma que nos sustenta e que as tecnologias que adotamos são as ferramentas para garantir sua preservação para as gerações futuras.


E falando em tecnologias e seus impactos nas empresas, se tiver interesse em avaliar como tendências como estas podem influenciar o seu negócio, agende um bate-papo comigo: rg@renatograu.com.br



Referências:

https://inteligenciademercado.rj.sebrae.com.br//assets/arquivos/EstudoMacrotendncias20232024Agronegciosvf2.pdf

Compartilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Renato Grau

Renato Grau

Engenheiro, futurista e especialista em Transformação Digital

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social Media

Most Popular

Categories

Receba as últimas atualizações

Assine nossa newsletter semanal

Sem spam, você receberá apenas conteúdos relevantes para você