Categorias

Transformação digital como meio de evitar tragédias!

Vamos falar sobre transformação digital?

VOCÊ NÃO ESTÁ CANSADO DE NOTÍCIAS COMO ESTAS?

“Segurança ateia fogo em creche de Janaúba e mata crianças e professora”

“12 são presos em operação de mais de 1000 homens no RJ”

“Colisão entre ônibus e trem mata 19 na Rússia – Ônibus teria desrespeitado semáforo e cruzado a linha férrea”

“Ouro escondido por Nuzman na Suiça daria para produzir medalhas até os jogos de 2028”

“Atirador de Las Vegas tinha um total de 42 armas no hotel e em casa”

O dia 02/10/17, segundo o índice do Hedonometer, ferramenta que mede a felicidade na rede social Twitter, foi o dia mais triste do mundo, coincidindo com o dia do Massacre em Las Vegas no mês passado e superando o de Orlando, no ano passado.

Eu estou muito cansado de receber notícias de tantas tragédias.

Nestes dias assisti ao filme “O Jogo da Imitação (2014)”, baseado em fatos reais, em que um brilhante matemático britânico mudou o rumo da 2ª guerra, ao descobrir as estratégias dos nazistas.

E sabe como ele fez?

Usando TECNOLOGIA, ele mudou o rumo da 2ª Guerra MUNDIAL e salvou MILHÕES DE VIDAS!!!!

Construiu um computador extremamente rudimentar – somente para os dias de hoje, é claro… – que decifrava os códigos alemães (a criptografia da época) e alimentava os aliados a se prepararem para os ataques alemães.

SENSACIONAL!!!!

E nos tempos atuais? Com tanta transformação digital, será que não poderíamos aplicá-las em soluções que poderiam evitar situações tão tristes como as que estamos sofrendo repetidamente?

Vamos fazer alguns exercícios de futurologia, nos baseando em tecnologias já existentes para entender como a transformação digital pode ser aplicada? Lembrando, é claro, que apesar de já existentes, algumas precisam ser melhor aprimoradas e maturadas.

· Afogamento: câmeras monitorando e identificando pessoas se afogando. Drones levando boias para socorro. Em caso de barcos, sensores IoT indicando em tempo real possíveis naufrágios.

Colisão entre veículos: utilização de veículos autônomos, que respeitam tráfego e trânsito, eliminando a maior causa de acidentes, que é o fator humano.

· Desvio de dinheiro: eliminação do papel-moeda, utilização de meios de pagamento digitais, incluindo as moedas digitais, como “bitcoins”, com bancos de dados e informações invioláveis, seguramente distribuídos pela tecnologia Blockchain. BigData e Inteligência Artificial, analisando e auditando dados de desvios e fraudes.

· Atentados com armas de fogo: câmeras monitorando e identificando pessoas e situações suspeitas. Biometria de vários tipos, principalmente reconhecimento facial, ajudando na proteção. BigData e Inteligência Artificial, analisando e auditando dados desde a fabricação até a comercialização das armas, assim como perfis dos compradores e histórico de compras e vida. Rastreamento de armas e pessoas a partir de várias tecnologias, inclusive IoT.

E tem mais…

· Atentados a partir de pessoas próximas: Biometria de vários tipos, principalmente reconhecimento facial, ajudando na proteção. Câmeras monitorando e identificando pessoas e situações suspeitas. BigData e Inteligência Artificial, analisando e auditando dados como perfis dos funcionários e atividades profissionais exercidas, incluindo outros históricos, como por exemplo, médicos e policiais. Rastreamento de armas, produtos perigosos e pessoas.

· Tráfego de drogas: Satélites, drones e câmeras monitorando desde a produção, fronteiras dos países e venda de drogas nas ruas. Mapas online indicando os locais com maior comercialização de drogas. Identificação, marcação e rastreamento dos bandidos e traficantes, que normalmente cometem crimes recorrentes. E se, ao invés de tornozeleiras eletrônicas, que já são um grande avanço, usássemos chips inseridos em algum local do corpo humano? Alguns podem dizer que é muito radical e quase não é humano. Mas quem acredita que o que estes bandidos fazem é humano???

· Organizações criminosas: sabemos que uma boa parte dos líderes continuam exercendo o comando a partir dos presídios, pelos celulares. Já temos a tecnologia para bloqueio de sinais. É só implantar. Outras tecnologias acima como Bigdata e IA podem ajudar a auditar e rastrear as operações.

· Identificação de perfis de pessoas perigosas: monitoramento de indicadores de prontuário médico e criminal que possam sugerir atenção especial a certos perfis de pessoas.

· Concentrações de bandidos em locais com dificuldade de acesso geográfico: é lógico que pensei nos morros do Rio de Janeiro, primeiramente. Uma cidade maravilhosa, cercada pelo mal. E se os bandidos estiverem monitorados com chips, em tempo real, com mapas inteligentes emitindo alertas quando grupos se reunirem? E drones, satélites e câmeras monitorando em tempo real e alta resolução tudo o que se passa por lá? E biometria com reconhecimento facial, identificando os moradores bons dos bandidos?

As soluções não parecem estar muito próximas? Ou você acha que não?

Sem dúvidas serão necessários investimentos para essa transformação digital. Mas será que eles não podem vir daqueles recursos recuperados ou evitados de tanta corrupção que somos vítimas?

É lógico que vai ter um monte de gente vendo o “copo meio vazio”, afinal de contas faz parte do ser humano. Muitos alegarão que, com estes recursos, não haverá mais privacidade…,Mas até que ponto hoje conseguimos usufruir de uma real privacidade? Vivemos em casas e condomínios mais protegidos que os presídios. Quando saímos temos que usar carros blindados. O noticiário só fala de atentados, crimes, roubos, desvios de recursos, corrupção.

Eu vejo o copo de água, preenchido pela metade, como “meio cheio”!!! E digo mais, enviarei um drone, com toda a tecnologia, para completar a outra metade!!!

Gostaria de saber o que VOCÊ pensa a respeito. Deixe seu comentário no final deste artigo!

Para quem quiser entender um pouco do contexto da transformação digital em que nos encontramos, sugiro assistir ao webinar que realizei em conjunto com o Fabio Camara, para tratar justamente deste tema: clique aqui.

Gostaria de formar um bom benchmarking para você? Baixe nosso relatório de pesquisa com dados sobre as maiores dificuldades enfrentadas pelos gestores de ti, clique aqui.

E caso tenha alguma dúvida, se quiser trocar algumas ideias ou ainda, necessitar de algum apoio, deixe seu comentário no artigo/blog ou entre em contato comigo pelos meus canais que será um prazer ajudá-lo.

Renato Grau

renatograu@innovision.com.br

Skype: renatograu

www.innovision.com.br

Tel: +55 11 2789-9944

Empreendedor, Empresário e Consultor especialista em Tecnologia e Negócios para o mercado corporativo;

Fundador e CEO da Innovision, empresa de tecnologia com 21 anos de mercado;

Engenheiro Eletrotécnico formado pela Escola de Engenharia Mauá;

Sócio fundador e membro do Conselho de Administração do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul), onde ocupou, pelos biênios 2012-2013 e 2014-2015, o cargo de Presidente;

Criador do Arranjo Produtivo Local das Empresas de TIC de São Caetano do Sul e Região;

Membro do COMDEC (Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico) de São Caetano do Sul em 2013-2016

0 Comments

Leave Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A SUA EMPRESA ESTÁ COM PROBLEMAS NO AMBIENTE DE TI?

A partir de uma consultoria com foco no seu negócio, avaliaremos o ambiente e operação de TI atuais e, junto com o gestor responsável, apresentaremos um plano de recomendação do ambiente tecnológico que irá gerar o melhor resultado financeiro para a sua empresa.

PARA MAIS INFORMAÇÕES

(11) 2789 -9944
rh@innovision.com.br | financeiro@innovision.com.br | comercial@innovision.com.br

Endereço: Rua Funchal, 411- 5º andar - Vila Olímpia - São Paulo - SP - Brasil