Categorias

Gestores de TI: eles se abriram e contaram quais são as suas maiores dificuldades!

Quer saber quais são as maiores de dificuldades dos Gestores de TI? Então vamos começar!

“Em uma semana comum, com que frequência você se sente estressado no trabalho? ”

Apenas 4% disseram que NUNCA. E 50% disseram, PELO MENOS, que MAIS DA METADE DAS VEZES

“Como gestor de TI, você acredita que há pontos em que poderia melhorar profissionalmente? ”

100% disseram que SIM.

“Você gostaria de ter um mentor/coach para ajudar na sua evolução profissional? ”

79% disseram que SIM.

Interpretando os dados

Durante 20 anos, como consultor e empresário na área de TI, fiquei tentando entender porque, na maior parte dos casos, os responsáveis de TI das empresas, ou gestores de TI naturalmente meus principais interlocutores nas empresas, independentemente da estrutura e hierarquia, eram fechados.

É óbvio que uma análise como esta não pode ser superficial e muito menos simplista. E não há uma verdade absoluta até porque estamos falando de relacionamento entre pessoas (“H2H”), mesmo sendo por motivos profissionais, numa relação “B2B”.

Bem, se os gestores de TI fossem extremamente comunicativos, abertos, expansivos, provavelmente estariam na área comercial. Então temos que, em primeiro lugar, respeitar o perfil padrão destes profissionais, fortemente técnico.

E o “outro lado da moeda”…Quem normalmente representa as empresas e consultorias de TI? Se não for alguém da área comercial, é alguém de uma área de pré-vendas, arquitetura de solução, consultoria mas, vamos falar a verdade? Todos com a missão de dar apoio a uma área comercial.

E esta relação entre gestores de TI… Será que está ERRADA?

NÃO! Não está! Afinal de contas, no mundo capitalista – por ora o melhor regime testado…rs – em que vivemos, precisamos viver de negócios, de compras e vendas.

Aí vem você, me perguntar: “Mas, Grau…Se não está errada esta relação, por que ela não é melhor? Porque não existe a sinergia necessária para um crescimento conjunto? ”

A resposta vem de mais de 2000 anos atrás… “Mais bem-aventurado é dar do que receber. ” Nem preciso mencionar o ILUMINADO Autor, concorda?

A questão é que, dentro deste mundo “B2B”, este conceito praticamente não existe. Quase tudo é “Se você me ajudar, eu ajudo você. ” A prática é o CONTRÁRIO DO QUE DEVERIA SER, construindo uma relação de desconfiança, falta de transparência e sinceridade, de RECEBER PRIMEIRO para TALVEZ DAR DEPOIS.

Pra mim é este o grande problema da relação

Bem…Aí você deve estar pensando: mas o título deste artigo é “Os Gestores de TI se abriram e contaram quais são as suas maiores dificuldades”…Quer dizer que o GRAU conseguiu encontrar um caminho?

Realmente consegui SIM MUDAR ESTA RELAÇÃO, quebrando paradigmas! Há quase 1,5 ano tenho buscado ajudar não só os gestores de TI, mas também outros gestores e profissionais que estão buscando se aprimorar, evoluírem profissionalmente e gerarem maiores RESULTADOS para as organizações a que pertencem.

E como consegui? Principalmente compartilhando meu conhecimento, tudo que aprendi em mais de 20 anos com tecnologia, negócios e empreendedorismo:

 

Há muito mais vindo por aí! Me acompanhe nos meus canais

Agora vou falar um pouco dos dados que me chamaram a atenção, vindos dos gestores de TI que se abriram um pouco comigo, além daqueles que mencionei no início do artigo:

  • 65% deles estão dispostos a avaliar o apoio de consultores especializados para os auxiliarem a gerar maiores resultados para as suas empresas;
  • 85% declaram que os ambientes de TI das suas empresas necessitam de melhorias;
  • Aproximadamente 50% dos CEOs e decisores das empresas ainda não veem TI como estratégico; acreditam que seja custo e não investimento, e, portanto, muitas vezes as decisões de aquisições são tomadas por preço e pelo resultado financeiro que podem trazer. E o pior de tudo, não trazem para a camada de decisão o gestor de TI para as devidas análises e avaliações!
  • Em quase 50% das empresas, os ativos de TI (hardware, software, redes) estão ultrapassados ou com configurações abaixo das necessidades da empresa; o suporte técnico é reativo, não oferecendo acordos de nível de serviço (SLAs) necessários; a equipe de profissionais desatualizados tecnicamente; inexistência de recursos para a gestão adequada do parque;
  • Em 55% das empresas não existem critérios, ferramentas e políticas para utilização de dispositivos próprios dos funcionários no ambiente corporativo, ocasionando graves riscos quanto à segurança da informação;
  • 47% das empresas não têm recursos de alta disponibilidade para sistemas imprescindíveis para o negócio, 42% das empresas possuem política de backup ausente ou ineficiente e…”Pasme”…Em 60% dos casos, não são realizados simples testes de Restore!!!!
  • 66% das empresas não medem a produtividade dos seus colaboradores, não conseguindo medir o retorno sobre os investimentos (ROI) realizados.

 

E quais as conclusões a que chegamos, a partir destes dados?

Em um mundo cada vez mais dependente de tecnologia, em que o tempo das pessoas é precioso e não pode ser desperdiçado, em que as empresas normalmente estão trabalhando com margens de lucro apertadas enquanto necessitam inovar e se transformar digitalmente para sobreviverem, ainda há muitos problemas básicos que precisam ser resolvidos com maior prioridade.

É nítido que os gestores de TI estão começando a acordar e perceber que sozinhos não vão conseguir alcançar os objetivos das organizações a que pertencem.

Se neste momento ainda há tanto por fazer, a carga vai aumentar muito mais nos próximos anos, quando as transformações digitais estarão fazendo o mundo rodar mais rápido e fora dos padrões até então conhecidos.

A notícia não muito boa é que hoje as soluções para os problemas e dificuldades apresentados demandam maiores levantamento de dados, análises e raciocínios. E por isto, toda ajuda para gestores de TI será importante. Mas a notícia ÓTIMA é que exigem MUITO MENOS RECURSOS FINANCEIROS, e se tornam muito mais viáveis de serem realizadas!

 

O que você achou destes dados?

Eles formaram um bom benchmarking para você? Caso você queira receber a pesquisa completa, clique aqui.

E caso tenha alguma dúvida, se quiser trocar algumas ideias ou ainda, necessitar de algum apoio, deixe seu comentário no artigo/blog ou entre em contato comigo pelos meus canais que será um prazer ajudá-lo.

Total Votes : 1

Total Votes : 1

 

Renato Grau

renatograu@innovision.com.br

Skype: renatograu

www.innovision.com.br

Tel: +55 11 2789-9944

Empreendedor, Empresário e Consultor especialista em Tecnologia e Negócios para o mercado corporativo;

Fundador e CEO da Innovision, empresa de tecnologia com 21 anos de mercado;

Engenheiro Eletrotécnico formado pela Escola de Engenharia Mauá;

Sócio fundador e membro do Conselho de Administração do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul), onde ocupou, pelos biênios 2012-2013 e 2014-2015, o cargo de Presidente;

Criador do Arranjo Produtivo Local das Empresas de TIC de São Caetano do Sul e Região;

Membro do COMDEC (Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico) de São Caetano do Sul em 2013-2016

0 Comments

Leave Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A SUA EMPRESA ESTÁ COM PROBLEMAS NO AMBIENTE DE TI?

A partir de uma consultoria com foco no seu negócio, avaliaremos o ambiente e operação de TI atuais e, junto com o gestor responsável, apresentaremos um plano de recomendação do ambiente tecnológico que irá gerar o melhor resultado financeiro para a sua empresa.

PARA MAIS INFORMAÇÕES

(11) 2789 -9944
rh@innovision.com.br | financeiro@innovision.com.br | comercial@innovision.com.br

Endereço: Rua Funchal, 411- 5º andar - Vila Olímpia - São Paulo - SP - Brasil